Aula de História

 Veias abertas da História

Uma verdadeira aula de História do Brasil. É o que promete o Cinema da Casa da Cultura da América Latina, em setembro.  Índios, política, revoluções, insurreições, injustiças, cangaço, futebol,  arte  e  personagens diversos marcarão presença na tela do CineCAL durante todo mês, com sessões ao meio-dia e às 15h, com entrada franca. Confira.

Programação

Dia 01 de setembro (quinta-feira)

12h

Como era gostoso o meu francês (Brasil). Direção de Nelson Pereira dos Santos, 1971, 84 min. No Brasil, em 1594, um aventureiro francês com conhecimentos de artilharia é feito prisioneiro dos Tupinambás. Segundo a cultura indígena, era preciso devorar o inimigo para adquirir todos os seus poderes: saber utilizar a pólvora e os canhões. Classificação indicativa: 16 anos

15h

Xingu (Brasil). Direção de Cao Hamburguer, 2011, 102 min.  Nos anos 1940, três jovens irmãos decidem viver uma grande aventura: Orlando, 27 anos; Cláudio, 25, e Leonardo, 23. Os Irmãos Villas-Bôas alistam-se na Expedição Roncador-Xingu e partem numa missão desbravadora pelo Brasil Central,envolvendo-se na defesa dos povos indígenas e de suas diversas culturas, registrando tudo num diário batizado de A Marcha para o Oeste. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 6 de setembro (terça-feira)

12h

Parahyba  mulher macho (Brasil). Direção de Tizuka Yamasaki, 1983, 84 min. Conta uma importante parte da história do Brasil, através da personagem principal, Anayde Beiriz, poetisa, jornalista e professora revolucionária e libertária do começo do século XX, conhecida por seu liberalismo sexual, o qual chocava a Paraíba pré-Revolução de 1930. Classificação indicativa: 16 anos

15h

Getúlio (Brasil). Direção de João Jardim, 2014, 100 min. Em agosto de 1954, ojornalista e dono de jornal Carlos Lacerda sofre um atentado na porta de casa, mas o ato dá errado e o tiro mata o major Rubens Vaz, que fazia a segurança de Lacerda. O presidente Getúlio Vargas é acusado de mandar matar o jornalista e passa a ser pressionado por militares e pela oposição. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 8 de setembro (quinta-feira)

12h

Aleijadinho (Brasil). Direção de Joaquim Pedro de Andrade, 1978, 22 min. Um inventário da vida e obra de Antônio Francisco Lisboa, o artista mais expressivo do Brasil colônia, que ficou conhecido pelas originais concepções técnicas e artísticas que introduziu em seu ofício de escultor. Classificação indicativa: livre

Garrincha,  alegria do povo (Brasil). Direção de Joaquim Pedro de Andrade, 1962, 58 min. Documentário realizado no apogeu da carreira  de Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, bi-campeão mundial em 1958/1962, consagrado no Botafogo de Futebol e Regatas, onde eternizou a camisa número 7. Classificação indicativa: livre

15h

Portinari  do Brasil (Brasil). Direção de Rozane Braga e Sonia Garcia, 2012, 56 min.  A história do mais importante artista plástico brasileiro: desde a infância no interior de São Paulo, passando pelo primeiro curso de pintura, a viagem para o Rio de Janeiro, a Escola Nacional de Belas Artes, até sua ida para a Europa, e também o casamento e o nascimento do seu único filho. Classificação indicativa: livre

Dia 13 de setembro (terça-feira)

12h

Madame  Satã (Brasil). Direção de Karim Aïnouz, 2002, 105 min. O cotidiano e a intimidade de João Francisco dos Santos - malandro, artista, presidiário, pai adotivo, negro, pobre, homossexual - e seu círculo de amigos, antes de se transformar no mito Madame Satã, lendário personagem da boêmia carioca na Lapa dos anos 1930. Classificação indicativa: 18 anos

15h

Luz Del Fuego (Brasil). Direção de David Neves, 1982, 102 min. Baseado livremente na vida da vedete e naturista brasileira, que se tornou conhecida  no chamado Teatro de Revista, no Rio de Janeiro, ao se apresentar dançando com serpentes e vestida de índia. Classificação indicativa: 18 anos

Dia 15 de setembro (quinta-feira)

12h

O  dia que durou 21 anos (Brasil). Direção de Camilo Galli Tavares, 2012, 77 min. O ponto de partida é a crise provocada pela renúncia do presidente Jânio Quadros, em agosto de 1961, e prossegue até o ano de 1969, com o sequestro do então embaixador americano no Brasil, Charles Elbrick, por grupos armados. Classificação indicativa: 14 anos

15h

O caso dos irmãos Naves (Brasil). Direção de Luís Sérgio Person, 1967, 92 min. Conta a história real, ocorrida em Araguari (interior de Minas Gerais), da prisão, tortura e morte dos irmãos Joaquim e Sebastião Naves, acusados injustamente de um crime na época do Estado Novo. Presos e torturados, são obrigados a confessar um crime que não cometeram. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 20 de setembro (terça-feira)

12h

Sobreviventes - Filhos da guerra de Canudos (Brasil). Direção de Paulo Fontenelle, 2007, 76 min. No ambiente abandonado e esquecido pelo poder da nação surgiu um homem chamado Antônio Conselheiro, pregando a união em busca do coletivo. A guerra foi um massacre inevitável. Sobreviventes expõem essa história que o Brasil faz questão de manter esquecida. Classificação indicativa: 12 anos

12h

Brasília segundo Feldman (Brasil). Direção de Eugene Feldman e Vladimir Carvalho, 1979, 35 min. Material documental filmado pelo designer americano Eugene Feldman, em visita à Brasília na época de sua construção: a precariedade da segurança dos trabalhadores em razão do ritmo acelerado das obras e depoimentos de pioneiros sobre as condições de vida dos candangos. Classificação indicativa: livre

15h

Suíços  brasileiros – Uma história esquecida (Brasil). Direção de Calixto Hakim, 2013, 52 min. Por mais de 160 anos pouco se soube sobre a imigração suíça para a Colônia Dona Francisca, hoje região de Joinville (SC), e de lá se espalhando pra várias cidades brasileiras. O filme conta a saga dessas bravas famílias, mesclando uma narrativa de ficção com documentário. Classificação indicativa: livre

Dia 22 de setembro (quinta-feira)

12h

Os últimos cangaceiros  (Brasil). Direção de Wolney Oliveira, 2011, 79 min. Jovina Maria da Conceição e José Antonio Souto são dois senhores que levam uma vida bem comum pelos últimos 50 anos. O que ninguém sabe, incluindo seus filhos, é que esses nomes são falsos. A dupla, na verdade, é conhecida como Durvinha e Moreno. Eles integraram o bando de Lampião, o mais controverso e famoso líder do cangaço. Classificação indicativa: 14 anos

15h

O Contestado (Brasil). Direção de Sylvio Back, 2010, 118 min. O resgate mítico da chamada guerra do Contestado, ocorrida entre 1912 e 1916, que envolveu milhares de civis e militares, colocando o Paraná e Santa Catarina em disputa por questões territoriais. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 27 de setembro

12h

Estrada 47 (Brasil). Direção de Vicente Ferraz, 2015, 107 min. Baseado em fatos reais, mostra o drama vivido por uma unidade anti-mina da Força Expedicionária Brasileira durante a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Classificação indicativa: 14 anos

15h

O  homem do pau-brasil (Brasil). Direção de Joaquim Pedro de Andrade, 1982, 106 min. Baseado na obra de Oswald de Andrade, um dos mais importantes ícones do modernismo no Brasil e um dos baluartes da Semana de Arte de 1922, em São Paulo. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 29 de setembro

12h

Chatô,  o rei do Brasil (Brasil). Direção de Guilherme Fontes, 2015, 102 min. Versão romantizada da vida de Assis Chateaubriand, magnata da comunicação. Sua vida é analisada a partir de um AVC, que o faz delirar com um julgamento transmitido pela TV em pleno horário nobre de domingo, onde antigos amores e desafetos se unem para um acerto de contas. Classificação indicativa: 14 anos

15h

Nise, o coração da loucura (Brasil). Direção de Roberto Berliner, 2015, 108 min. Ao voltar a trabalhar em um hospital psiquiátrico no subúrbio do Rio de Janeiro, após sair da prisão, a médica Nise da Silveira propõe uma nova forma de tratamento aos pacientes que sofrem de esquizofrenia, eliminando o eletrochoque e lobotomia. Seus colegas de trabalho discordam do seu meio de tratamento e a isolam, restando a ela assumir o abandonado Setor de Terapia Ocupacional, onde dá início a uma nova forma de lidar com os pacientes, através do amor e da arte. Classificação indicativa: 16 anos

Entrada franca
Local: Auditório Gonzaguinha (térreo) da Casa da Cultura da América Latina da UnB
SCS  Quadra 4, Edifício Anápolis. Telefone 3321.5811
Hora: 12h e 15h
Realização: CAL/DEX/UnB

Brasília, 31  de agosto de 2016
Núcleo de Comunicação Social da CAL