Rupturas

O rompimento com antigas formas de representação artística e novas maneiras de pensar, agir e sentir que levaram a outra compreensão da arte e do mundo  dão o tom do CineCAL, em outubro.  Com o tema Rupturas, a programação apresenta filmes  que tratam de personagens e movimentos que provocaram fortes transformações na cultura ocidental, no cinema, na dança, nas artes plásticas, arquitetura, teatro, medicina, e na música.

Programação

Dia 4 de outubro  (terça-feira)

Ruptura na cultura ocidental: aparecimento da Contracultura e Movimento Hippie.

Easy Rider

Easy rider (EUA). Direção de Dennis Hopper, 1969, 94 min. Conta a história de dois motociclistas que viajam através do sul e sudoeste dos Estados Unidos, com o objetivo de alcançar a liberdade pessoal. Um marco na filmografia de contracultura, e a "pedra-de-toque" de uma geração  que "capturou a imaginação nacional", o filme explora as paisagens sociais, assuntos e tensões na América da década de 1960, tal como: a ascensão e queda do movimento hippie; o uso de drogas e estilo de vida comunal. Classificação indicativa: 16 anos

Dia 06 de outubro (quinta-feira)

Ruptura no cinema: considerado o primeiro filme da Nouvelle Vague, movimento que revolucionou o cinema francês no final da década de 1950.

Nas garras do vício (Le beau Serge)/França. Direção de Claude Chabrol, 1958, 98 min. François Baillou volta para sua cidade natal após dez anos fora. O local não mudou muito, mas os habitantes sim. François descobre que Serge, seu melhor amigo, virou alcoólatra e tenta descobrir o que aconteceu para ajudá-lo a vencer o vício. Classificação indicativa: 16 anos

Dia 11 de outubro  (terça-feira)

Ruptura na dança: Isadora Duncan

Isadora (Reino Unido/França). Direção de Karel Reisz, 1968, 131 min. Cinebiografia de Isadora Duncan, bailarina norte-americana de vida escandalosa para a época, que estremeceu os alicerces do balé ao criar a dança moderna, nas décadas iniciais do século XX. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 13 de outubro (quinta-feira)

Ruptura no teatro brasileiro: baseado na obra de Plínio Marcos

Querô (Brasil). Direção de Carlos Cortez, 2007, 88 min. O personagem principal - Querô (seu apelido,  pois sua mãe morreu após se embriagar com uma garrafa de querosene) é um menor abandonado, criado pela vida. Sobrevivendo sozinho na região portuária de Santos, em situação de pobreza e abandono, ele não se dobra à disciplina da Febem, ao jogo fácil do tráfico de drogas e, muito menos aos policiais corruptos que o perseguem. Classificação indicativa: 18 anos

Dia 18 de outubro (terça-feira)

Ruptura na Música Popular Brasileiro: Movimento Bossa Nova

Coisa mais linda: histórias e casos da Bossa Nova (Brasil). Direção de Paulo Thiago, 2005, 126 min. Um painel histórico, musical e informativo sobre o nascimento da Bossa Nova, nos anos 1950. O movimento musical atingiu o ápice em 1962, quando se internacionalizou definitivamente em um concerto do Carnegie Hall (Nova York). Classificação indicativa: livre

Dia 20 de outubro   (quinta-feira)

Ruptura na arquitetura: Antoni Gaudí

Antoni Gaudí (EUA). Direção de Hiroshi Teshigahara, 1985, 72 min. O conjunto da obra de Antoni Gaudí transcende o Modernismo Catalão, culminando num estilo orgânico único inspirado na natureza. Ele raramente desenhava projetos detalhados, preferindo a criação de maquetes e modelava os detalhes à medida que os concebia. Classificação indicativa: livre

Dia 25 de outubro  (terça-feira)

Ruptura nas artes plásticas: Cubismo

O mistério de Picasso (França). Direção de Henri-Georges Clouzot, 1956, 78 min. O filme não traz aspectos biográficos, pois busca retratar o artista Pablo Picasso em exercício de seu processo criativo. É mostrada a produção de cerca de vinte telas, tendo sido utilizado um vidro transparente para exibir a evolução de cada obra desde uma folha em branco até o acabamento, sem mostrar o artista. O filme é em preto e branco para os traços com lápis, carvão ou tintas dessas cores, e colorido para as pinturas. Classificação indicativa: livre

Dia 27 de outubro  ( quinta-feira)

Ruptura na Medicina: Sigmund Freud e a Psicanálise

 Freud, além da alma (EUA). Direção de John Huston, 1962, 140 min. Biografia romanceada do pai da Psicanálise, mostrando seus casos mais célebres e seu envolvimento com os pacientes. A história da elaboração da teoria psicanalítica, que procura explicar nossa constituição psíquica. Reconstrói a vivência e as descobertas de seu criador, Sigmund Freud, em Paris e na cidade de Viena, entre os anos de 1885 e 1890. Classificação indicativa: 16 anos

Entrada franca

Local: Auditório Gonzaguinha (térreo) da Casa da Cultura da América Latina da UnB

SCS Quadra 4, Edifício Anápolis. Telefone 3321.5811

Hora: 12h e 15h

Realização: CAL/DEX/UnB

Brasília, 30 de setembro de 2016
Núcleo de Comunicação Social da CAL