Cine Portugal

Mostra acontece no Museu Nacional de 6 a 9 de junho

Dois documentários e duas ficções marcam a 4ª edição do Cine Portugal  que acontece de 6 a 9 de junho, às 19h, no Auditório II do Museu Nacional da República. Uma  parceria da Casa da Cultura da América Latina e Programa Cinema  no Museu, com apoio da Embaixada de Portugal, a mostra faz parte do projeto CineCAL no Museu,  com entrada franca.

O estreante João Pedro Plácido assina o documentário Volta à Terra, que abre o evento. Tendo como eixos o experiente Antônio e o mais jovem agricultor,  o divertido Daniel, o filme mostra o  cotidiano dos poucos mais de 50 habitantes da aldeia de  Uz, na fronteira do Minho com  Trás-os-Montes, que vivem do  trabalho com a terra e o gado. O lisboeta João Pedro diz que, há muito tempo,  queria partilhar a ruralidade, o sentido de comunidade  e a perda de identidade cultural, temas que permeiam seu primeiro e, segundo ele, também seu  último trabalho no cinema  como diretor.



Cinzento e Negro,  um filme dramático sobre amor, traição, vingança, solidão e morte, escrito e dirigido por Luís Filipe Rocha, será exibido na segunda noite  da mostra. Conta a história de uma mulher que é traída pelo amado, que  rouba todo seu dinheiro e foge para uma ilha dos Açores. Destroçada e humilhada, ela anseia por vingança, então resolve contratar um inspetor de polícia para encontrar  e capturar seu  ex-amor. Foi exibido no Festival dos Cinemas do Mundo de  Montreal (Canadá) e na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Na quarta-feira (8) será a vez de A Corte do Norte, de  João Botelho. Baseado no romance homônimo de Agustina Bessa Luís, narra a história verídica de Emília de Sousa, a maior atriz do teatro português nos finais do século  19, que abandonou  carreira por uns anos para se casar com  um dos mais ricos herdeiros da  ilha da Madeira e se transformar na Baronesa Madalena do Mar. Ela construiu um mistério que perdurou por quatro gerações e por mais de um século.  A atriz Ana Moreira desdobra-se em vários papeis na pele de personagens ligadas à mesma família, desde o século XIX até aos nossos dias. O filme recebeu Menção  Honrosa no Festival de Cinema de Roma.



O  documentário José e Pilar, de  Miguel Gonçalves Mendes, exibido, com sucesso, nos  cinemas brasileiros anos atrás, encerra a mostra. É um belo relato sobre a vida do escritor português José Saramago (1922/2010), Prêmio Nobel de Literatura, e sua mulher a jornalista Pilar Del Rio.  O cotidiano simples e amoroso do casal é retratado enquanto ele terminava um de seus livros em sua casa, em uma ilha na Espanha.

Programação

Dia 6 de junho (terça-feira)
Volta à Terra (Portugal). Dirigido  por João Pedro Plácido, 2014, 1h18min. Classificação: 12 anos

Dia 7 de junho (quarta-feira)
Cinzento e Negro (Portugal/Brasil). Direção de Luís Filipe Rocha, 2015, 95 min. Protagonizado por Joana Bárcia, Filipe Duarte, Miguel Borges, Mônica Calle, Manuel de Blas e Camila Amado. Classificação: 14 anos

Dia 8 de junho (quinta-feira)
A Corte do Norte (Portugal). Dirigido  por João Botelho, 2009, 120 min. Com Ana Moreira, Rogério Samora e  Ricardo Aibéo. Classificação: 16 anos

Dia 9  de junho (sexta-feira)
José e Pilar (Portugal/Espanha/Brasil). Dirigido por Miguel Gonçalves  Mendes, 2010, 125 min. Classificação livre


Brasília,  24 de maio de 2017