Fundo Stella Maris

 Stella Maris de Figueiredo Bertinazzo nasceu em 1º de agosto de 1946, em Carmo do Paranaíba – MG. Graduada pela Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 1968, e mestre em Artes Plásticas, pela Universidade de Nova Iorque. No final da década de 1960, começou a se destacar como gravadora. Em 1970, foi uma das representantes de Minas Gerais na Bienal de São Paulo e, nesse mesmo ano, foi para Portugal e Itália.

 Em 1979, chegou na UnB, onde criou o Ateliê de Xilogravura do Instituto de Artes (IdA). Seu trabalho sofreu grande influência da xilogravura tradicional japonesa e se destacou pelo uso de materiais alternativos para a gravura. Foi bolsista da Tokyo National University of Fine Arts and Music, no Japão, entre 1981 e 1982. Foi coordenadora do Núcleo de Estudos Asiáticos da UnB e, de 1979 a 1995, professora do Departamento de Artes Visuais da UnB, quando se aposentou. Permaneceu na instituição como Pesquisadora Associada Adjunta, até sua morte, em 2001.

 Como surgiu o Fundo
  No ano de seu falecimento, em dezembro de 2001, a partir do interesse conjunto da sua família e da própria Universidade, foi formalizada a transferência do seu acervo pessoal para a UnB, para avaliação, inventário e encaminhamento do processo de doação.

 A documentação pessoal e profissional, os catálogos, fotografias e recortes de jornais, foram encaminhados ao Centro de Documentação da UnB (Cedoc) que processou a documentação por tipo, obtendo um total de 33 caixas-arquivo.

 As obras de arte, os esboços, as obras coletivas e os estudos ficaram sob a responsabilidade da Casa da Cultura da América Latina, que realizou o inventário e tomou as primeiras medidas para conservação das obras. A CAL também recebeu parte de sua biblioteca e outros materiais como disquetes, fitas VHS e cassete, ferramentas e materiais de trabalho.

 Em 2007, foi formada uma comissão que avaliou o acervo da artista e elaborou a proposta de constituir um fundo documental fechado, o Fundo Stella Maris, que, mais tarde, acolheu todos os documentos e trabalhos que foram relacionados no Inventário Geral (documentos, obras e livros). Em agosto de 2007, com a presença de sua mãe e herdeira, Neusa Angélica de Figueiredo, ocorreu uma cerimônia oficial de doação, no Salão de Atos da Reitoria da UnB. Os documentos ficaram sob a responsabilidade do Centro de Documentação da UnB, e as obras e os livros sob os cuidados da Casa da Cultura da América Latina (CAL/DEX).

Obras da artista

 
 

O fundo é constituido por: 

 1. Documentação pessoal e profissional, catálogos, fotografias e recortes de jornais, que se encontram em 34 caixas – arquivo;

 2. Livros, revistas e catálogos. A biblioteca tem no total 343 títulos, em sua maioria na área de artes plásticas;

 3. Obras de arte, esboços e estudos. O Acervo de obras tem cerca de 293 trabalhos da artista;

 4. Obras coletivas: pipas do projeto Xilo nos Ares (30 pipas), calendários (todas as séries de 1987 a 2000) e três álbuns de gravura;

 5. Matrizes;

 6. Outros materiais como: cartazes, slides, disquetes, fitas VHS, fitas cassete, fotografias, papéis especiais, ferramentas e materiais de trabalho como goivas, rolos de impressão, pincéis e tintas.

Acesso:
O acervo do Fundo Stella Maris está à disposição para consulta, nos seguintes locais:

 1) Casa da Cultura da América Latina (CAL). As visitas devem ser agendadas por meio do telefone (61) 3321. 5811 ou pelo endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.;

 2) Centro de Documentação da UnB (Cedoc). Informações pelo telefone: (61) 3307.2580 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..