Réquiem para um poeta

A companhia de teatro YinsPiração celebra Shakespeare em peça no Goldoni

No ano em que se completa 400 anos da morte de William Shakespeare, a Companhia de teatro, YinsPiração, presta uma homenagem ao Bardo inglês. Não se trata de uma montagem clássica ou moderna de um de seus textos, a diretora Luciana Martuchelli optou por investigar a mente do próprio autor.

Sonhos de Shakespeare, em cartaz no Teatro Goldoni (208/209 Sul) desde 20/11, apresenta. 18 atores que dão vida a personagens saídos das peças do dramaturgo: Hamlet, Macbeth, Otelo, Romeu e Julieta, Sonho de uma noite de verão, A megera domada e O mercador de Veneza.

Luciano Sartoryi/ Divulgação. 

Reunidos em torno de um Shakespeare adormecido, eles tentam penetrar o último sonho do dramaturgo. Em clima onírico, atravessam labirintos obscuros na tentativa de encontrar na mente do criador a gênese ou um sentido para seus próprios dramas, que são enfrentados todos os humanos.

Em Sonhos de Shakespeare, a Cia. YinsPiração quer destacar o poder transgressor da literatura e da escrita – inclusive a teatral. “Estamos revelando o imenso vazio que a perda de um poeta deixa no panteão de homens e mulheres que lutam contra o horror e nos iluminam, e que também não nos deixam esquecer da nossa efemeridade”, diz a diretora.

Luciano Sartoryi/ Divulgação. 

Aproximando-se da performance, a encenação — definida por Luciana Martuchelli como “uma instalação onírica” — conta com trilha sonora composta a partir de textos e sonetos de Shakespeare, em inglês ou traduzidos. A cenografia reforça a proposta lançada à plateia de entrar na mente do dramaturgo inglês e explorar seus paradoxos.

Árvores secas, instrumentos musicais, pratarias, máscaras, gaiolas, ratoeiras e uma infinidade de outros objetos compõem instalações, nas quais os próprios atores-personagens aparecem como peças. Há um “caos” poético e estético naquele amontoado de coisas que antecipa o que está por vir.

Aos poucos, a névoa se desfaz, os personagens ganham vida e abre-se, a partir daí, um labirinto habitado por elfos, reis, megeras domadas, bruxas, no qual nos deparamos o tempo todo com sensações e questões básicas da existência humana, como a paixão, o poder, a ambição, o ser ou não ser.

A lógica da narrativa (se é que se pode falar aqui em narrativa) é a dos sonhos. A música lindamente executada ao vivo, especialmente quando inspirada pelos versos de Shakespeare, provoca enlevo, a sensação de transe — “Sonhos…” é sobretudo,  sensorial. Há algo de dionisíaco na encenação, algo de celebração à vida em sua forma de arte.

Serviço
Sonhos de Shakespeare — Réquiem para um poeta
Data: 11/11 a 4/12 (domingo), sexta a domingo
Horário: às 20h 
Local: Teatro Goldoni (Casa D’Italia, 208/209 Sul)
Ingresso: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). 
Classificação indicativa: não recomendado para menores de 12 anos.

Fonte: sites  www.metropoles.comwww.brasilia.deboa.com/

Brasília, 28 de novembro de 2016
Núcleo de Comunicação Social da CAL