Brinquedos de papel

Exposição questiona cenário político atual

Cerca de cinco mil aviões compõe a exposição Brinquedos de Papel, que o artista e professor da Universidade de Brasília,  Christus Nóbrega,  apresenta no Elefante Centro Cultural (706 Norte), até início de agosto. Retomando linguagens como a instalação, o vídeo e a escultura, as obras aludem ao barroco e são utilizadas para questionar aquilo que moldamos e nos manipula, uma crítica do artista ao cenário político e social brasileiro.

Entre uma dobra e outra, e nas experimentações com o material e com o espaço expositivo, o avião de papel se revelou o fio condutor das obras de Nóbrega. São as aeronaves de papel que guiam o espectador ao longo da exposição, que está dividida em três partes: a primeira apresenta o Plano de Voo (os destinos, as cartas estelares e os planejamentos). Em seguida, a Construção do Avião (um paralelo que o artista faz com a formação do indivíduo, usando, neste momento, a mídia como matéria-prima). Por fim, na terceira parte, o público estará diante dos voos e dos aviões como são apresentados.

Para construir as obras, Nóbrega usou revistas e jornais coletados nos últimos meses, elementos que considera estruturantes da discussão política atual. Além dos periódicos, os livros são uma presença recorrente em seus trabalhos. Desta vez, utilizou exemplares que foram censurados pela ditadura militar ou manuais e enciclopédias das décadas de 1960 e 1970 que orientavam um tipo de comportamento social. “A exposição traz questões atuais em confronto com elementos históricos e se propõe a refletir sobre a construção de nosso cotidiano”, afirma o artista.

Com  curadoria de Cinara Barbosa, a exposição tem um aspecto de interlocução e estímulo à experimentação. “Colocar projetos em prática e experimentá-los, assim como o próprio espaço expositivo e a relação das obras nele”, explica  a curadora.

Serviço
Local: Elefante Centro Cultural (SCLRN 706, Bloco C – Asa Norte, Brasília – DF)
Visitação: 9 de julho  a 6 de agosto,  terça a sexta-feira, de 14h às 19h; sábados, de 15h às 18h
Classificação Livre
Entrada gratuita

Fonte: site Zupi

Brasília,  07 de julho  de 2016