O despertar modernista

Obras de Auguste Rodin estão em exposição no TCU

Começou dia 17 de agosto a exposição Auguste Rodin – O despertar modernista. As obras estão em exibição na galeriaMarcantonio Vilaça, do Tribunal de Contas da União (TCU). Com curadoria de Marcus Lontra Costa, a mostra que vai até o dia 5 de novembro, conta com 14 esculturas e 36 fotografias do pai da escultura moderna.


Detalhe da escultura O beijo. Divulgação.

Auguste Rodin (1840-1917) começou a desenhar aos dez anos, mas, foi no final do século XIX, que começou sua carreira profissional e seguiu produzindo até o final do século XX. Profundamente inspirado pela tradição, Rodin também se rebelou contra suas formas idealizadas, introduzindo práticas inovadoras que pavimentaram o caminho para a escultura moderna. Ele acreditava que a arte deve ser fiel à natureza, uma filosofia que moldou suas atitudes com modelos e materiais.

 Seu gênio era expressar verdades interiores da psique humana, e seu olhar penetrou sob a aparência externa do mundo. Explorando este reino sob a superfície, Rodin desenvolveu uma técnica ágil para representar os estados físicos extremos que correspondem a expressões de turbulência interna ou esmagadora alegria.  Vai ser possível conhecer mais de perto o cotidiano do artista em seu ateliê e seu método de trabalho –  ele desenhava suas peças, esculpia em formato menor, fazia os moldes em gesso e depois seus assistentes se incumbiam de ampliá-las em outros materiais.          

A exposição está divida em dois segmentos. No primeiro está um conjunto de 14 esculturas, pertencentes aos acervos da empresa mineira Vallourec (10 peças) e da Pinacoteca do Estado de São Paulo (quatro obras). No segundo, fotografias vindas especialmente do Museu Rodin, na França, e outras que integram o acervo da Pinacoteca de SP, num total de 36 imagens, selecionadas para informar o espectador sobre a vida e a obra do grande mestre.

Serviço
Local: Tribunal de Contas da União – Galeria Marcantonio Vilaça
Data: 17 de agosto a 5 de novembro
Hora: das 9 às 19 horas
Entrada franca
Classificação indicativa: livre

Fonte: Portal TCU, Achabrasilia, Metrópoles

Brasília, 31 de agosto de 2016