Quixote, a loucura de viver

Exposição celebra os 400 anos da morte de Miguel de Cervantes

 

A artista espanhola  Ima Montoya tentou imaginar como seriam, nos dias de hoje, Dom Quixote e as figuras que povoam o livro de Miguel de Cervantes. O resultado são 15 óleos sobre tela retratando uma visão contemporânea do universo de Dom Quixote, que compõem a exposição Quixote, a loucura de viver, em cartaz no Instituto Cervantes.

Comemorando os 400 anos da morte do escritor Miguel de Cervantes que deixou um imenso legado ao mundo, o Cervantes de Brasília promove, este ano,  diversas atividades culturais que possibilitam uma viagem sobre a vida e obra do poeta, romancista, soldado e dramaturgo espanhol, também conhecido como o “Manco Lepanto “.

Para a exposição, a pintora traz uma abordagem diferente das imagens pré-estabelecidas das figuras quixotescas conhecidas pelo leitor. As telas retratam o olhar da artista para um “Quixote do século 21” e sua vida nos dias de hoje, na intenção de que o espectador se identifique e crie cumplicidade com os personagens e seus desejos. “Quero que tirem Quixote da estante de leitura e o vejam em um pub, ferido, com os olhos brilhantes e cheios de paixão”, afirma.

Montoya também coloca em suas obras uma crítica sobre o mundo atual e o comportamento humano. Em algumas pinturas, há gruas de construção que são como uma espécie de metáfora dos moinhos de vento enfrentados por Quixote. “Agora são grandes construções industriais que estão gerando graves problemas em muitos países, sobretudo, quando deixam de gerar empregos. Lá está a figura do Quixote, de todos nós, representada por um homem que está acima dessas estruturas”, explica a artista.

A mostra, no entanto, não perde a aura conceitual que gira em torno do romance escrito por Cervantes. Aspectos como sonhos, loucura, amizade, amor, humor estão expressos nas obras. Na tela de intitulada Dulcineia, há um espelho no meio da pintura onde a pessoa se vê, dando a sensação de que o rosto refletido é Dulcineia. “Quixote não é uma pessoa de 1.600 anos. Quixote somos você e eu”, conclui a pintora.

Serviço

Exposição Quixote, a loucura de viver

Local: Instituto Cervantes Brasília ( SEPS 707/907 Lote D),  Asa Sul

Visitação: até 31 de outubro, segundas a sextas-feiras, de 9h às 20h;  sábados, de 9h às 15h

Entrada Franca

Classificação indicativa: livre

Informações: 3242-0603

http://brasilia.cervantes.es

Fonte: Clica Brasília e Correio web

Brasília, 28 de setembro de 2016