Potestad

 

Exposição, em Brasília,  apresenta nove vídeos do português Vasco Araújo

A partir de 7 de fevereiro,  o Museu Nacional da República apresenta  a exposição Potestad, que reúne nove vídeos realizados entre 2001 e 2014 pelo artista português, Vasco Araújo. Selecionados pela curadora, Maria João Machado, os vídeos têm como premissa os "relatos de poder", temática central no trabalho do artista.

As obras cruzam referências contemporâneas com as grandes narrativas e temáticas da cultura clássica e promovem uma reflexão sobre questões políticas universais. "É a primeira vez que os vídeos são apresentados juntos num contexto museístico", afirma a curadora, segundo uma nota divulgada pelo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua.

O artista expõe criticamente o olhar do outro, a ambiguidade das relações, a fragilidade dos sistemas, a construção do real, a identidade e a sexualidade, a virtude da moral e do dever, a geografia dos afetos, as pulsões do desejo e da paixão.

"Nas várias obras de Araújo, os diálogos ganham lugar por meio da multiplicação de identidades, que partem de uma só voz, numa aguda viagem interior", ressalta a curadora. Nesse sentido, o artista convoca, de acordo com ela,  dispositivos formais associados à ópera, ao Barroco, à etiqueta palaciana, ao Modernismo e à mitologia, definindo, desse modo, um espaço estético e discursivo próprio.

Às 19h30, durante a abertura da mostra, o artista fará uma conferência sobre o seu trabalho. Também será exibido seu último projeto em vídeo, La Schiava (2015), inspirado na ópera Aída de Giuseppe Verdi.

Nascido em Lisboa, em 1975, Vasco Araújo licenciou-se em Escultura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, frequentou o Curso Avançado de Artes Plásticas da escola Maumaus, também na capital. Desde então tem participado de diversas exposições individuais e coletivas em Portugal e no estrangeiro, integrando ainda programas de residências artísticas, como Récollets (2005), em Paris, e Core Program (2003/04), em Houston. Em 2003, recebeu o Prémio EDP Novos Artistas atribuído pela Fundação EDP.


Mulheres d’Apolo.

Das exposições individuais, destacam-se: Debret, apresentada em Lisboa e na Pinacoteca do Estado de São Paulo (2013); Mais que a vida, Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa); Eco, no Jeu de Paume, em Paris (2008), Vasco Araújo: Per-Versions, the Boston Center for the Arts, em Boston (2008),  e Dilema, na Fundação Serralves, no Porto, em 2004.

Fonte: Portugal digital

Brasília, 02 de fevereiro de 2017