Pasaquan

Exposição de Gê Orthof, nos EUA, está em cartaz até início de maio

Desde 20 de janeiro, está em exibição no John Michael Kohler Arts Center, em  Sheboygan (Wisconsin)/EUA, a instalação Pasaquan,  de  Gê Orthof.  O convite partiu do curador americano, Jonathan Frederick Walz, que conheceu o trabalho do artista brasiliense e professor da UnB, pelo Instagram.  

A obra  foi gestada ao longo de dois meses, entre Brasília e Estados Unidos, e surgiu da experiência de Orthof como artista visitante à Pasaquan, galeria a céu aberto criada pelo norte-americano Eddie Owens Martin, também conhecido como Saint EOM, um artista esotérico nascido em uma família de lavradores, na zona rural de Buena Vista (Georgia), morto em 1986.


Divulgação. 

Eddie Owens (1908/1986) criou  a galeria, em meados da década de 1950, a partir da casinha branca de madeira, onde passou a infância. Lá, atendia os clientes interessados em tarô e se apresentava, numa pequena arena de terra batida, como Saint EOM. Após sua morte, Pasaquan foi meio adotada por moradores de Buena Vista, até que, mais tarde, foi acolhida pela Kohler Foundation, entidade que se dedica a restaurar espaços que foram fundamentais para a arte norte-americana.

Gê Orthof visitou Pasaquan, ano passado, e revelou ter sentido um choque de energia bruta, uma grande vibração ao entrar no lugar. A partir desse primeiro contato, entre outros acasos, surgiu a instalação que concilia a poética do artista com o imaginário de St. EOM.  A exposição permanece em cartaz até 7 de maio.

Fonte: site Metrópoles e Referência galeria de arte

Brasília, 18 de abril de 2018