Limiar de lugar algum

Exposição reúne alunos, professores da UnB e obras do acervo do MAB

A mostra Limiar de algum lugar,  em cartaz até 14 de maio, tem como fio condutor os conceitos de fronteira, subjetividade, dentro e fora, lugar e não lugar, público e privado. Nessa relação de fronteiras porosas, a curadoria feita pela Queda Coletiva reúne obras de alunos de arte da Universidade de Brasília, professores e artistas que fazem parte do acervo do Museu de Arte de Brasília (MAB), como Lygia Pape, Leonilson, Karine Dutra e Maurício Vilaça, em uma relação de horizontalidade.

Essa perspectiva utiliza o espaço do Museu para dissolver as delimitações de categorias da arte e potencializar diferentes perspectivas sob um olhar contemporâneo: lugares comuns a serem partilhados. Entrada franca.

Serviço
Exposição Limiar de Lugar Algum
Local: Museu Nacional da República (Térreo, Sala 2)/Esplanada dos Ministérios
Visitação: até 14 de maio, terça a domingo, das 9h às 18h30
Informações: 61 3878.9100
Classificação indicativa: livre

Fonte: site Acha Brasília

Brasília, 04 de maio de 2017